UCEM - UCDM - ACIM

Lição 70.

In UCEM on 10/03/2012 at 12:10

A minha salvação vem de mim.

Toda tentação nada mais é do que alguma forma da tentação básica de não acreditares na idéia para o dia de hoje. A salvação parece vir de qualquer lugar, exceto de ti. Assim também acontece com a fonte da culpa. Tu não vês nem a culpa nem a salvação como estando em tua própria mente e em nenhum outro lugar. Quando reconheces que toda culpa é apenas uma invenção da tua mente, também reconhecerás que a culpa e a salvação têm que estar no mesmo lugar. Ao compreenderes isso, tu és salvo.

O custo aparente de aceitar a idéia de hoje é o seguinte: significa que nada fora de ti pode salvar-te, nada fora de ti pode dar-te paz. Mas também significa que nada fora de ti pode ferir-te, perturbar a tua paz ou transtornar-te de modo algum. A idéia de hoje te coloca em controle do universo, onde é o teu lugar devido ao que tu és. Esse não é um papel que possa ser aceito parcialmente. E com certeza estás começando a ver que aceitá-lo é a salvação.

Porém, talvez não esteja claro para ti por que o reconhecimento da presença da culpa na tua própria mente acarreta o reconhecimento de que a salvação está lá também. Deus não teria posto o remédio para a doença onde ele não pudesse ter utilidade. Esse é o modo como a tua mente tem funcionado, mas não a Sua. Ele quer que sejas curado e por isso tem mantido a Fonte da Cura onde a cura se faz necessária.

Tu tens tentado fazer exatamente o oposto, fazendo todas as tentativas, por mais distorcidas e fantásticas que sejam, para separar a cura da doença para a qual ela se destinava, conservando assim a doença. O teu propósito era o de assegurar que a cura não ocorresse. O propósito de Deus era o de assegurar que ocorresse.

Hoje praticamos o reconhecimento de que a Vontade de Deus e a nossa são, na realidade, a mesma nisso. Deus quer que sejamos curados e nós realmente não queremos ficar doentes, pois isso nos faz infelizes. Portanto, ao aceitarmos a idéia para o dia de hoje estamos realmente de acordo com Deus. Ele não quer que fiquemos doentes. Nos também não. Ele quer que sejamos curados. E nós também.

Estamos prontos para dois períodos de prática mais longos hoje, cada um dos quais deve durar de dez a quinze minutos. Todavia ainda deixaremos que tu decidas quando deverás empreendê-los. Seguiremos essa prática durante algumas lições e, mais uma vez, seria bom decidires com antecedência quando seria o momento adequado a ser reservado para cada período e aderir às tuas próprias decisões da forma mais exata possível.

Dê início a estes períodos de prática repetindo a idéia para o dia de hoje e acrescentando uma declaração que signifique o réu reconhecimento de que a salvação não vem de nada fora de ti. Poderias formulá-las assim:

A minha salvação vem de mim. Não pode vir de nenhum outro lugar.

Em seguida, dedica alguns minutos com os olhos fechados, para rever alguns dos elementos externos nos quais tenhas buscado a salvação no passado – em outras pessoas, em posses, em várias situações e eventos e em auto-conceitos que buscaste tornar reais. Reconhece que a salvação não está e dize a ti mesmo:

A minha salvação não pode vir de nenhuma dessas coisas.
A minha salvação vem de mim e só de mim.

Agora mais uma vez tentaremos alcançar a luz em ti, que é onde está a tua salvação. Não podes achá-la nas nuvens que cercam a luz e é nelas que a tens buscado. Não está lá. Está depois das nuvens, na luz que está além. Lembra-te de que terás que atravessar as nuvens antes de poderes alcançar a luz. Mas lembra-te também que nunca achaste nessa configuração de nuvens imaginada por ti nada que perdurasse ou que quisesses.

Já que todas as ilusões de salvação falharam para ti, certamente não queres permanecer nas nuvens, inutilmente procurando ídolos, quando poderias com tanta facilidade caminhar até a luz da real salvação. Tenta ultrapassar as nuvens por quaisquer meios que te agradem. Se isso puder ajudar-te, pensa em mim segurando a tua mão e conduzindo-te. E eu te asseguro que essa não será nenhuma fantasia vã.

Para os períodos de práticas curtos e freqüentes de hoje, lembra-te que a tua salvação vem de ti e nada exceto os teus próprios pensamentos pode impedir o teu progresso. Estás livre de qualquer interferência externa. Tu estás a cargo da tua salvação. Tu estas a cargo da salvação do mundo. Então, dize:

A minha salvação vem de mim.
Nada fora de mim pode me deter.
A salvação do mundo e a minha estão dentro de mim.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: